Vidas Diferentes | Capítulo 17 - Love (Hot)

quarta-feira, julho 02, 2014 | | |

 Sai do colo de Louis, o puxei pra ele sentar na cama. Começamos outro beijo quente. Ele foi se deitando por cima de mim.

Louis: Tem certeza? Se não quiser, eu posso esperar mais - disse parando o beijo.
Eu: Louis, para de ser inseguro. Eu quero - o puxei pra outro beijo.


 Sim, faz um mês que estamos juntos e ainda não fizemos... Você sabe. Não tem nenhum contrato que quis quando tem que ir, né? Eu e Louis já conversamos sobre isso. E não é por que eu sou virgem. O tempo passou, mas eu ainda me lembro do que o Marlon fez comigo. Sei que Louis não faria o que ele fez comigo, mas eu preciso de ter segurança.

Eu: Espera - dessa vez, eu que interrompi. - E se os seus pais chegarem? Você tem irmãs mais novas - ele riu.
Louis: Eu tranco a porta. Você vai gritar muito? - sorriu malicioso, enquanto ia até a porta.
Eu: Eu não sei da potencia Tomlinson - rimos. Eu sei, não sou tão pervertida assim, mas um clima descontraído é bem melhor do que só ficar vendo o que o outro está fazendo.

 Ele voltou e foi me dando vário selinhos seguidos. Eu fui subindo a cama, até bater na cabeceira. Coloquei a mão no seu pescoço e o puxei pra um beijo. Louis começou a beijar meu pescoço com delicadeza.  O perfume dele me embriagava, eu amava o seu cheiro.

 Ele começou a tirar a minha o meu moletom, depois a camiseta por baixo. Beijou o meu colo, foi descendo até chegar a minha barriga, dando uma mordidinha. Soltei um gemido baixinho.


 Tirei a camisa dele e inverti as posições. Passei a mão por seu abdome, o arranhando de leve, ele gemeu baixo. Sorri e comecei a beijar seu peitoral. Ao mesmo tempo, ele abria o meu shorts. Eu o ajudei a tirar e o joguei ao lado da cama. Fui até a barra da sua calça, a tirei junto com sua box.

 O membro de Louis já estava bem animado. Dei um sorriso. O peguei e comecei a masturba-lo. Fazia movimentos leves, arrancando pequenos gemidos de Louis. Beijei seus lábio, que eu tanto gostava, enquanto fazia os movimentos. Depois fui descendo pelo seu corpo, até chegar em seu membro. Dei um beijo e mordisquei a sua glande, o coloquei na boca. Louis segurou em meus cabelos, guiando os movimentos.

 Ele gozou, mas eu não engoli. Sério, não gosto disso. Talvez eu faça isso um dia, mas é só para agrada-lo, mas hoje não. Fui até a sua boca e lhe dei um selinho.
Louis virou na cama, ficando por cima de mim. Sorriu como se dissesse "agora sou eu que estou no controle". Foi até os meus seios, tirou o sutiã, começou a beijar e chupar o direito, enquanto massageava o esquerdo. Depois de um tempo trocou de lado.

 Foi descendo as mãos até a minha calcinha. Massageou a minha intimidade, ainda por cima da mesma, me fazendo gemer baixo e depois a tirou. Ele me beijou e penetrou um dedo, depois dois. Arqueei minhas costas, até me acostumar com seus dedos em mim. Os movimentos eram bem lentos e circulares.

Eu: Lo-Louis... - gemi seu nome ao perceber que estava chegando ao meu ápice. Ele retirou os dedos antes, fiquei sem entender.
Louis: O seu primeiro orgasmos comigo não vai ser com os meus dedos - me deu um selinho e se levantou.

 Foi em direção ao seu guarda-roupa, pegou uma camisinha e a vestiu. Subiu em cima de mim, me beijando. Depois abriu as minhas pernas com delicadeza (isso é possível?) e me penetrou com cuidado.

 Louis foi saindo e entrando, de maneira prazerosa. Logo começou com os movimentos de vai e vem. Eu já estava ficando doida. Arranhei suas costas, em sinal de mais. Ele começou com os movimentos vai rápidos.


 Depois de alguns minutos, percebi que já estava ficando cansado. Então, inverti as posições e comecei a cavalgar em cima de seu membro. As mãos de Louis estavam na minha cintura, ajudando nos movimentos. Ambos gemiam muito. Era inevitável.

 Mais alguns minutos, e Louis inverte as posições novamente. Dessa vez, seus movimentos eram mais fortes e rápidas.  A cada estocada, eu gemia mais. Ele me beijava pra tentar abafar o som que ambos faziam. Chegamos ao nosso limite juntos. Louis deixou seu peso cair sobre mim, ofegante. Depois se deitou ao meu lado.

Louis: Quando eu penso que você não pode ser mais perfeita... - ele deixou a frase morre.
Eu: Eu que digo isso. Sempre surpreendendo, Tomlinson - sorri cansada.
Louis: Eu amo quando você me chama assim - tirou uma mexa da minha testa suada. - Quer descansar agora? - eu assenti.

 Ele me puxou para mais perto, colando nossos corpos. Dei um beijo em seu pescoço, me aconchegando mais. Louis me deu um beijo na testa e eu adormeci.

[...]

 Acordei já um pouco descansada. Me sentei na cama, me espreguiçando. Olhei pro lado e Louis dormia feito um anjo. Sorri e lhe dei um beijo na testa, e acariciando seus cabelos.

 Ouvi o barulho de pessoas subindo as escadas. Eram passos animados, e pelas vozes, eram as irmãs mais novas de Louis. Logo a voz de uma mulher o chama.

Eu: Louis. Louis... - sussurrei o balançando. Ele se remexeu. - Lou, seus pais chegaram e sua mãe está te chamando.
Louis: É sério? - falou sonolento, ainda de olhos fechados.
Eu: Levanta, vai. É melhor você ir lá - o balancei novamente.
Louis: Tudo bem - se levantou com um suspiro. Me deu um selinho de surpresa, e eu ri. Ele colocou a roupa dele, e eu a minha. - Vem, desce comigo.
Eu: Aãn... - hesitei.
Louis: Calma, eles não vão insinuar nada - riu. - Ah não ser, que você vá com esse cabelo todo bagunçado - riu mais ainda.
Eu: Há-há-há. Você também! - arrumamos nossos cabelos e descemos de mãos dadas.
Louis: Oi, mãe. Oi, pai.
Johanna: Olá, filho - o abraçou.
Eu: Oi, Sr. e Sra. Tomlinson - os cumprimentei.
Mark: Já falamos que não precisa dessa formalidade toda - sorriu. Eu já havia conhecido os pais de Louis, óbvio. Eles são bem legais, simpáticos, e me tratam super bem.
Johanna: Já comeram alguma coisa? - Louis me olhou, segurando um sorriso, e eu o repreendi com o olhar.
Louis: Não. Ainda não - tentou não rir. Ai, esse garoto é um retardado mesmo.
Johanna: Nós já comemos, antes de virmos. Então, vou preparar algo pra vocês - foi para a cozinha.

 Louis me abraçou de lado, mordiscou minha orelha e dei um beijo no meu pescoço. Pigarrei, pois o pai dele ainda estava na sala.

Mark: Ah... Eu vou deixar vocês a sós - fez menção de se levantar do sofá.
Eu: Não, não precisa. Nós vamos comer agora. NÉ, Louis? - o olhei e ele riu.
Louis: Sim, vamos - riu e me puxou pra cozinha. Nos sentamos na mesa.
Johanna: O frango já está fritando. Me desculpe pela coisa simples, mas acabei de chegar.
Eu: Ah, não se preocupe com isso. Não sou dessas coisas muito chiques, nunca gostei de caviar - rimos.
Johanna: Eu vou ir tomar um banho. Vocês olham, se estiver pronto?
Eu: Claro - sorri.
Louis: Ah! Mãe, a Seunome pode dormir aqui hoje? - ela nos olhou bem, e depois riu.
Johanna: Claro que pode - sorriu e saiu.
Eu: Vou dormir aqui, é?
Louis: Sim. Estou com uma baita preguiça de te levar, sabe? - fingiu se espreguiçar e me abraçou. - E eu não vou te deixar ir sozinha a noite, pra casa.
Eu: Como se eu fosse uma donzela frágil.
Louis: Aos meus olhos você é, gatinha - me selou.
Eu: Então, tá. Mas agora é melhor ver o frango.

 Me levantei, desliguei o fogo. Louis pegou os pratos, nos servimos e voltamos a nos sentar a mesa.

 Depois de comermos, subimos de volta para o quarto. Decido ir tomar um banho. Louis iria me emprestar uma roupa, por essa noite. Já no box, me despi e liguei o chuveiro. Sou surpreendida por Louis entrando no mesmo.

Eu: Menino, você tá doido?
Louis: Não. O que é melhor que um banho? Um banho a dois - respondeu a própria pergunta. Me puxou para si, me beijando.
Eu: Mas só o banho? - parei o beijo.
Louis: Se você quiser. Mas posso te fazer carinho, né?
Eu: Pode - ri. Começamos a tomar nosso banho, cheio de carícias. Eu o ensaboei, e ele veio fazer o mesmo comigo. - Desculpa, por isso - passei a mão nas suas costas com arranhões vermelhos, enquanto ele ensaboava a minha perna.
Louis: Que nada - ele se levantou. - Isso significa que foi bom, não é?

 Lhe dei um beijo demorado como um "sim".

 Depois nos enxaguamos e saímos do banheiro. Fui no guarda-roupa de Louis. Procurei algo que pudesse me servir e vesti. Ele me olhou e riu.

Eu: O que foi?
Louis: Awnnn... Ela fica linda com a minha roupa.
Eu: Só até amanhã, seu bobo.
Louis: Não sei... Acho que vou a dar de presente pra você.
Eu: Para de ser besta, e venha aqui - ri o chamando pra se deitar na cama.


 Ele se deitou, me aconcheguei de novo em seu abraço e adormeci com Louis cantando baixinho pra mim.

~Sam Pov~

~No dia anterior~

 Estava em casa, arrumando a bagunça que a minha gata fez na sala. Meu celular começou a vibrar e tocar em cima da mesinha de centro. O pego e gelo ao ver o ID de chamada. O que será que ele quer?

~Ligação On~

Eu: Alô, Adam?
Adam: Como sabe que sou eu?
Eu: Identificador de chamada.
Adam: Ah. É mesmo... Mas então, tudo bem?
Eu: Sim e com você?
Adam: Tudo ótimo. Olha, a Seunome saiu e pelo jeito vai passar a noite fora. Você não quer vir aqui?
Eu: Ah-ah... - gaguejei. - Eu não sei...
Adam: Poderíamos assistir a um filme, se você quiser - pensei um pouco. Se ele está me convidando, é melhor aproveitar, não é?
Eu: Eu vou. Escolhe o filme que já estou indo.
Adam: Ok, e você poderia trazer algo pra comermos? Hoje eu não fiz nada e só tem a pipoca pra fazer.
Eu: A Seunome ainda não foi no mercado? - ri.
Adam: É... - ri mais ainda. Se não fosse a minha amiga pra colocar ordem...
Eu: Tudo bem. Daqui a pouco estou ai.

~Ligação Off~

 Guardei os brinquedos da Cath, e me arrumei. Falei pros meus pais que iria pra casa da Seunome. Saí e antes de ir para cobertura, passei no Nando's.

 Cheguei e toquei na campainha. Instantes depois, Adam abre a porta.

Adam: Oooooba! - esfregou as mão ao ver o pacote em minhas mão. - Oi - me deu um beijo no bochecha. O que me fez dar um sorriso discreto.
Eu: Oi - ele pegou o pacote, deu um espaço e eu entrei. - A Seunome foi pra onde? - o olhei, ele enquanto fechava a porta.
Adam: Pra casa do Louis. Já vão dar 21:00 hs, então acho que ela não volta. Você quer comer antes de assistir o filme?
Eu: Que tal comermos durante o filme? - sugeri. Ele deu de ombros.

 Arrumei a comida na mesinha de centro e ele foi colocar o filme. Depois veio se sentar ao meu lado, no sofá.

Eu: Qual o nome do filme?
Adam: ABC do amor - sorriu.

 Começamos a assistir. No meio do filme, Adam estica o braço no encosto do sofá. Dei um sorriso discreto e só o deixei me abraçar.

[...]

 Quando o filme acabou, olhei para a Adam. Ele olhou para mim e veio para me beijar.

Eu: Não. Não vai ser assim - me levantei e ele me olhou confuso.
Adam: O quê?
Eu: Eu não vou ser essas meninas da sua lista, que você vê um filme e...
Adam: Não! Eu nem assisto filmes pra no final beijar a menina.
Eu: Ótimo. Já assistimos o filme, então, eu vou embora - fui em direção à porta.
Adam: Samantha, não vai assim - segurou o meu braço. - Eu não te chamei, pra falar de meninas. Eu assisti um filme com você, você é diferente - pensei um pouco.
Eu: Só não estrague nada - disse com um suspiro. Ele sorriu e começou a me beijar.


  Fazer o quê? Sou apaixonada por ele. Não resisto.

~Seunome Pov~

 No dia seguinte, eu acordei com Louis dando vário beijinhos pelo meu rosto. Sim, quando ele quer, ele é romântico, já em outras... Hahaha'

 Nós tomamos o café da manhã juntos com a família deles. Os Tomlinson são mesmo muito legais, acolhedores e gentis. Gosto muito deles. Depois Louis me levou para a minha casa.

Louis: Te vejo depois, amor - me deu um selinho.
Eu: Com certeza - lhe dei um beijo. - Tchau - saí do carro.

 Sorri o vendo seguir pela rua. Realmente Louis está me fazendo muito feliz. Mas ai me vem a pergunta: "Será que estou pronta para dizer o 'eu te amo'?". A hora certa vai chegar - conclui no pensamento.

 Entrei no prédio. Chegando na cobertura, peguei as minhas chaves para abrir a porta (óbvio). Entrei e na mesa de centro tinha o pacote do Nando's. O Adam fez a festa - pensei. Fui para o meu quarto e tomei um banho bem relaxante.

 Quando saí, coloquei uma roupa e a blusa de frio do Louis que usei ontem. Eu a tinha pegado. Dormir e acordei com o cheiro dele no meu corpo, gostei tanto que não resisti ter o cheiro dele comigo, mesmo com ele não estando por perto.

 Fui para a cozinha beber um copo d'água, me lembrei que tenho que ir no meu mercado. Qualquer dia vou deixar a casa sem comida, só pro Adam folgado, ir fazer compras. É o que eu devia ter feito há tempos.

 Peguei o último biscoito do pote. Estava sando da cozinha quando dou de cara com uma Sam sonolenta.

Eu: Sam! - falei no susto.
Sam: Ouvi barulhos e sabia que era você - sorriu. - Niall ainda não voltou, não é?
Eu: Não... E nem sei quando ele volta - sorri comprimindo os lábios.


 E foi ai que a ficha me caiu. 

Eu: Amiga! - tapei a boca. - Você dormiu aqui... E sozinha com o Adam? - ela corou. - OMG! Me conta! Mas não muitos detalhes - fiz uma careta e ela riu.
Sam: Vamos pro seu quarto. O senhorzinho ainda está aqui do lado - sussurrou e eu ri. Fomos para o meu quarto, fechamos a porta e sentamos na cama. - Bom, ontem o Adam me ligou falando que você não estava em casa e me chamou pra assistir um filme. Ai depois que acabou, ele tentou me beijar, eu falei que não sou como as meninas que ele pega, ele disse que eu não era, e como sou uma apaixonada derretida, cedi. E o resto, você sabe... - deu um risinho. - E parece que você também teve uma noite ótima!
Eu: Eu tive! Louis escreveu uma música pra mim e também cantou. Ela é perfeita - me deitei na cama suspirando como uma apaixonada. - Depois tivemos  o nosso "romance quente" - ela riu. - Foi perfeito também. E na hora de dormir - ri -, tive que vestir uma roupa dele, já que não tinha levado uma minha.
Sam: Essa blusa é dele? - riu.
Eu: Sim - ri também. - Não resisti. E ai eu dormir com ele cantando pra mim - me sentei na cama cruzando as pernas.
Sam: Awn, que fofo!
Eu: Sim! Sabe... Agora acho que também sou uma "apaixonada derretida" - rimos.
Sam: Vamos pra cozinha? Estou morrendo de fome - colocou a mão na barriga e rimos novamente.

 Fomos para a cozinha e o telefone tocou.

~Ligação On~

Eu: Alô?
xX: Coelhinha?
Eu: Nialler! - quase dei um grito.
Niall: Tudo bem? - ele riu.
Eu: Tudo ótimo. E ai na Irlanda?
Niall: Está tudo ótimo também. Tô com saudades dai.
Eu: E eu saudade de você aqui!
Niall: Adivinha? Liguei para avisar que estou voltando!
Eu: Ai, meu Deus! - dei um pulinho. - Jura? Quando? Hoje?
Niall: Não, hoje não dá. Estou ai amanhã! Preciso de alguém pra me buscar no aeroporto - disse com o tom de riso.
Eu: Isso é um convite? Eu vou!
Niall: Tudo bem - riu. - Te passo um torpedo quando eu chegar no aeroporto.
Eu: Combinado! Até amanhã, anjo.


Niall: Até amanhã, anjinho.

~Ligação Off~

 Fiquei tão feliz! O meu irlandês está voltando. Mas vou avisar ao Louis, né? Não quero ele falando que estou fazendo algo escondido com meninos, mesmo que seja o Niall, que pior/melhor é amigo dele também.

CONTINUA


:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

Hellouis, hellouis minhas liamdas!
Passaram bem nesses últimos dias? Espero que sim :3
O Nialler vai voltar, uhuuuul <3
Até o próximo.
Bjão

2 comentários:

  1. OMJ, OMJ, OMJ, OMJ!!!!!!!!!!!!!!!!!! CONTINUAAAAAAA!!!! Cara,já disse que você é perfeita? Por que você é!! ' v '

    Beijos, até a próxima!! <3 S2 *u* *w*

    ResponderExcluir