Imagine Hot com Louis Tomlinson - Lolita

quinta-feira, novembro 13, 2014 | | |



Soundtrack:

Lolita - Lana Del Rey 
&&
The Matadors - That Kinda Love



AVISO/CONTÉM : Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo e Sexo
CLASSIFICAÇÃO: 16 anos



 NARRADORA 



Seunome mordia os lábios com alguns machucados avermelhados de forma impulsiva. Dúvida era o que tinha no momento em quanto passava os olhos pelas peças coloridas escondidas na última parte bem no fundo de seu closet. Não havia ninguém em casa e não haveria por umas boas 7 horas a partir daquele momento e isso deixava Seunome livre para ser quem realmente era. 

Suspirou de forma lenta e demorada enquanto passava com as pontas dos dedos pelo queixo. Tão difícil a escolha entre cor azul bebê e o lilás. Deu de ombros e puxou com força o cabide com as vestimentas no tom lilás.

Ela cantarolava uma música de composição infantil ao mesmo tempo que retirava a roupa que vestia espalhando-as pelo quarto. Seu corpo era desenvolvido para quem tinha 15 anos, mas ainda sim infantil a não ser pelas coxas grossas que indicavam que anos mais tarde ela seria uma menina baixa e possivelmente ‘’gostosa’’. Mas no momento Seunome era apenas uma adolescente com lábios avermelhados extremamente atraente aos olhos de qualquer um que parasse para reparar.

Seunome parou de cantar assim que afundou na grande banheira perfumada com sais em aroma artificial de frutas vermelhas. A espuma fazia presente em grande parte da superfície da água e até mesmo no chão do banheiro amplo. Seunome era definitivamente uma criança bagunceira e ativa. Uma hora embaixo d’agua e os dedos enrugavam e a água esfriava ficando desconfortável fazendo com que a menina se obrigasse a sair da banheira e enrolar-se na felpuda e macia toalha branca.

A menina agora estava diante do amplo espelho que decorava a porta do closet. Ela dava voltinhas e sentia a brisa fazer com quem o pano fino, porém cheio de camadas, dançasse entre suas coxas. Um sorriso satisfeito ao notar que o pano não chegava a metade de suas coxas fazendo assim o espartilho de cor um tom mais claro que lilás que trajava ligado a meia fina em cor branca quase transparente aparecesse nitidamente.

Seunome usava um vestido tipicamente infantil e ainda assim indecentemente curto. Saia de babados curta decorada com pregas e laços brancos até o corte no quadril, na parte do corpete era simples apenas com uma fenda rendada que decorava do corte do quadril até a altura da gola alta igualmente feita com renda branca e um botão perolado decorando o fecho. Isso tudo decorando um corpo tão delicado e imaculado quanto o da mais bela garotinha e ficava cada vez mais adorável com os cabelos caído sobre os olhos por culpa de uma tiara de flores de borboletas. Assustadoramente encantadora.

Os pés apenas cobertos pelas meias deslizavam sobre a madeira clara da cozinha enquanto ela pulava sobre os armários em busca dos ingredientes para seus saborosos cookies. Ela fazia tudo isso com um pirulito de sabor morango preso entre seus lábios fazendo com que sua língua ganhasse uma mancha vermelha de sabor estritamente doce. Seunome não teve tempo de pegar tudo que precisava pois a campainha soou e a doce menina arregalou seus olhos em desespero, poderia jurar que todo o sangue do seu rosto havia sumido e agora suas bochechas tipicamente rosadas estavam pálidas e geladas. Mais uma vez a campainha soou impaciente e a garota saiu de seu estado estático e andou nas pontas dos pés até a porta para espiar pelo olho mágico.

Um ofego e logo em seguida um sorriso malicioso surgiu, ninguém acreditaria que um rostinho tão inocente poderia haver um sorriso como aquele. Louis Tomlinson, mas conhecido como Tio Boo estava parado do outro lado da porta aparentemente impaciente. Um click e a porta foi destrancada e logo em seguida aberta pela menina que estranhamente usava um vestido curto e uma tiara de flores. O sorriso falsamente inocente acompanhado da famosa covinha iluminou o rosto do rapaz de 25 anos.

- Oi tio Lou. Quanto tempo! – O mais velho arregalou os olhos para a figura que o esperava e ficou sem reação ao sentir duas pernas firmes envolverem sua cintura e os braços no seu pescoço. Um beijo longo e estalado foi depositado em sua bochecha antes de ser liberado pela menina.

- Err ...Seunome como você ...Mudou? – Louis estava nitidamente nervoso e sem saber como reagir com a figura da sua amada sobrinha vestida perfeitamente como uma Lolita aos olhos de qualquer homem fetichista.

- Quem mudou foi você tio Boo. Eu só cresci não está vendo? Vamos entre! Mamãe sabe que está aqui? – Seunome disparava ao mesmo tempo que puxava Louis para dentro do cômodo. O mais velho estava confuso com tanta informação e apenas conseguiu reagir como qualquer pessoa em sua situação. Ficou calado e se deixou ser levado por sua sobrinha.Desde quando Seunome era tão atraente? ... Ele estava com a mente cheia e ao mesmo tempo anuviada ao perceber o vestido da garota subir e revelar uma calcinha de babados assim como o vestido bem ajustado no traseiro da mais nova.

- Tio está tão calado! O que foi? Não estava com saudades da sua sobrinha amada? – A voz de Seunome continha uma manha provocante e ao se virar para encarar o mais alto um leve biquinho se formou em seus lábios atraentes.

- NÃO! Nunca disse que não estava ... Eu só estou ...er. – Não terminou de falar pois a mais nova soltou uma risadinha e o surpreendeu com um selinho rápido e estalado antes de empurrar o outro contra o sofá.

- Não diga nada. Estou fazendo cookies. Já volto Boo. – Dito isto saiu saltitante em direção á cozinha fazendo assim novamente o vestido levantar e com isso Louis se mover desconfortavelmente no sofá afastando as pernas a procura de conforto e jogando a cabeça para trás como sinal de confusão e cansaço. Sentia-se irritado e frustrado. Era tão errado assim achar sua sobrinha a coisa mais graciosa e atraente que havia visto. Ou o jeito como ela falava sem parar como uma criança de cinco anos completamente adorável. Seria tão errado assim se sentir excitado com aquele ser de pele imaculada rebolando por ai com um vestido curto e uma calcinha de babados. Se era errado? Óbvio. Errado e até repulsivo, mas ainda sim fazia Louis salivar com expectativa.

Um barulho despertou a atenção do mais velho que em curiosidade andou até a cozinha e parou na entrada da mesma tendo mais uma imagem que brincava com seu alto controle. ‘’Ela é sua sobrinha, porra!’’ pensava Louis ao ver a menina de joelhos com toda sua atraente parte traseira empinada na direção de Louis. Aquilo era um espartilho? A cabeça de Louis começou a latejar, não tão diferente de suas partes  baixas. Não tardou a garota praticamente saia de dentro do armário com um pote grande e dentro dele alguns utensílios metálicos causadores do barulho que despertou Louis.

Seunome levantou –se e virou em direção á bancada tendo a visão de seu tão adorado tio. Um sorriso discreto e imperceptível devido ao outro pirulito ocupando a boca da menor. A menina notou a aflição do mais velho e isso o incentivou mais ainda a continuar com a brincadeira divertida. Ela levou a ponta do indicador e polegar ao palito do doce e rodou o mesmo fazendo o doce em formato circular dançar em sua língua antes de afastar os lábios e brincar com o doce por ali, melando tanto a parte inferior quanto a superior deixando –os brilhosos. Louis queria sugar e morder aqueles lábios. Este pensamento e a visão da língua da sua sobrinha rodeando o doce fez com que mordesse com força o próprio lábio.

- Oh tio, pode me ajudar? – A voz da pequena e atrevida Seunome era arrastada e soava tão inocente que fazia Louis acreditar que as provocações eram tudo coisa da sua mente suja e maliciosa.

- Claro, do que precisa? – Murmurou o homem de olhos profundamente azuis. Louis era inegavelmente um homem atraente e sensual. Seus 25 anos era muito bem representados pelos seus olhos atrativos, o cabelo castanho acobreado em um topete bagunçado e lábios finos e róseos sempre repuxados em sorrisos sensuais. Sua pele mesmo branca levava um tom bronzeado atípico para a fria e nublada Inglaterra fazendo com que recebesse muita atenção das pessoas, afinal, não é todo dia que se via um homem como Louis. Ele transpirava sexualidade.

- Pode ligar o forno para mim? – Pediu Seunome enquanto pegava os ovos e o leite na geladeira. Louis estava distraído com a tarefa rápida de ligar o forno e deixá –lo em uma temperatura alta para pré- aquecer, quando se virou viu a sobrinha dando pulinhos em busca de algo no armário alto da cozinha.

Ele não fez de forma proposital, foi até impulsiva diria, mas quando se aproximou de sua sobrinha para pegar o que seria uma barra de chocolate, prensou o corpo da mesma contra o balcão da pia, fazendo assim sua pélvis roçar na macia e pequena -avantajada  bunda de sua sobrinha. Ela apenas mordeu seus lábios e rebolou ‘’sem querer’’ seu traseiro causando atrito prazeroso com o membro coberto do maior. Louis fechou os olhos e respirou pesadamente. Aquela menina queria o enlouquecer e estava fazendo um bom trabalho. Afastou –se da menor e a mesma se virou com um sorriso fofo piscando os olhos de forma lenta enquanto passava sua língua sobre seus dentes mordendo –a.

- Obrigada Titio. – Falou infantil. Louis sorriu e continuou fitando –a.

- De nada pequena. – Falou o mais velho acariciando os fios encaracolados da menina, que fez careta ao ver sua tiara sair do lugar.

Louis estava dolorido e agora duvidando da possível inocência de sua sobrinha. Em sua cabeça aquela menina estava pedindo desesperadamente para que ele fizesse amor com ela contra o balcão. O maior não sabia como não havia feito nada ainda com a menor,desde que de minuto em minuto roçava a bundinha tentadora no membro de seu tio, fazendo o mesmo morder os nós dos dedos e contar até dez, mas a ereção já começava a ficar
nítida.

- Quando sua mãe chega? – Perguntou na esperança de distrair a mente e tentar arrumar um jeito de fugir de Seunome até a hora de sua mãe chegar.

- Ela vai demorar, talvez daqui umas 5 ou 6 horas eu acho. – Falou a menina dando de ombros em quanto jogava a massa nas forminhas e as arrumava para ir ao forno. Louis deixou os ombros caírem de forma derrotada. Ele definitivamente não ficaria mais que uma hora sem fazer qualquer estupidez.

Seunome agora lambia o resto de massa do pote. Louis sorriu com isso pois lembrava de quando brigava pelo pote sujo com a sobra da massa. Ele se debruçou sobre o balcão apoiando os cotovelos e observando sua sobrinha na outra extremidade distraída. Quando se deu conta que o tio a observava, ela abriu um sorriso largo e puxou umas das mãos do tio que a encarou confuso. A menina ignorou e fez com que Louis fechasse os dedos deixando apenas o médio em pé deixando claro o sinal obsceno. Louis não teve tempo de questionar pois Seunome já passava seu dedo na massa e deixava uma grande quantidade sujar toda sua extensão. Primeiro foi o calor dos lábios envolvendo o dedo longo e fino, em a língua passeando e causando cócegas na pele fina do dedo então o som molhado dos lábios e a língua se arrastando por todo o dedo em um longo chupão. Louis gemeu. Ele não pode conter o gemido de puro prazer ao sentir e visualizar uma sucção perfeita em seu indicador fazendo imaginar na hora aqueles lábios em sua ereção pulsante.

Seunome se afastou como se não tivesse feito nada jogando a louça suja na pia e colocando os cookies no forno. Ela ignorava até certo ponto os olhos do mais velho queimando as suas costas. Ela encarou a louça e decidiu lavá-la para esperar. O que ela esperava não tardou a chegar, sorriu ao sentir uma respiração quente em sua nuca e duas mãos espalmarem suas coxas e subirem vagorosamente o vestido até a altura de seu quadril. Louis estava de puro desejo e raiva. Raiva por não conter seus instintos mais primitivos em relação a sua sobrinha 10 anos mais nova. Ele puxou o quadril estreito da menor contra sua ereção e roçou brutalmente  a mesma contra o tecido fino da calcinha de Seunome.

- Oh tio Louuu ... – Gemeu manhosa a menina de cachos deixando a colher que lavava cair na pia fazendo um baque. Um tapa foi deferido em sua nádega esquerda e mais um puxão forte contra a pélvis do maior.

- Continue a lavar a louça Seunome. Sou seu tio e posso castigá-la. – Louis rosnou as palavras no ouvido da menina fazendo a mesma suspirar e pegar a colher. Ela fazia questão de largar a louça para receber um tapa. Louis sorriu ao ver a teimosia da sobrinha. Sua mão foi para a frente da calcinha adentrando a mesma com muita leveza enquanto beijava graciosamente o pescoço de Seunome. A menina ronronava de olhos fechados e com a cabeça encostada contra o peito de seu tio. 

- Você vai lavar essa louça todinha e bem rapidinho. Cada vez que você parar eu vou aumentar ou diminuir os movimentos e você ainda levara um tapa. Pois é assim que pequenas Lolitas como você devem ser tratadas. – Louis era frio em suas palavras. Muitas se sentiriam ultrajadas e ofendidas com tais dizeres, mas Seunome apenas rebolou rapidamente. Louis sorriu e começou a movimentar sua mão de forma rápida enquanto seus dedos ásperos e com alguns calos entravam com mais força na intimidade de Seunome. A menina gemia e sua cabeça estava rodando, ela não conseguia fazer muito e com isso recebera incontroláveis tapas. Quando estava perto de chegar ao seu ápice e apenas faltava uma tigela a ser lavada, Louis parou de tocá-la e logo retirou sua mão da mesma. Seunome geme em frustração enquanto tenta mover o quadril sendo impedida.

- Os cookies estão prontos Lolita. Coloque-os em um prato e leve-os para a sala. Se tiverem bons vai poder comê-los acompanhados de um leitinho quente. Sei do que minha amada sobrinha gosta. – A cada palavra sussurrada fazia os pequenos e finos pelos da menina se arrepiarem e a mesma a revirar os olhos de tamanha excitação. - Não demore! – Ela somente assentiu e respirou pesadamente, quando foi liberada se apoiou contra a pia em busca de se firmar devido as pernas tremulas e o coração disparado. Ela ainda não acreditava no que estava acontecendo. Ela sempre fora apaixonada pelo tio e de certa forma sempre quis ser a garotinha do Titio e isso de certa forma a fez criar fantasias, porém nunca imaginou que se realizariam de uma forma tão intensa.

Não tardou em obedecer seu tio e logo caminhava em direção a sala com os cookies. Ela parou ao lado do tio e arregalou os olhos ao ver o estado do mesmo. Louis estava apenas de boxes pretas, em seu peitoral definido havia tatuagens que a menina desconhecia, os braços era forte e malhados e o quadril estreito em contraste com a enorme traseira e coxas grossas tão definidas quanto o resto do corpo. Ele segurava firme o membro e o bombeava lentamente, seus lábios entre abertos sugando o ar e as pupilas dilatadas na íris azul de pura excitação.

- Boa garotinha. – Disse rouco e largou o membro contra o abdômen. -Agora, você vai sentar no colo do titio e vai dar direitinho os biscoitos na minha boca. Ouviu? – Seunome sorriu com sua falsa inocência e assentiu prontamente fazendo Louis rosnar com a imagem de sua possível ‘’inocente’’ sobrinha. A garota com cuidado se ajoelhou sobre o sofá e passou uma das penas para o outro lado do corpo do tio. Antes que pudesse se sentar sobre o quadril do mais velho, este a impediu levando suas mãos as coxas da menina e puxando de uma vez só as meias de cinta liga fazendo com que o elástico e as pequenas fivelas batessem em sua pele. Louis continuou em silêncio e deixando Seunome cada vez mais ansiosa até sentir as mãos quentes uma de cada lado de sua calcinha puxando a mesma até a dobra do joelho.

- Quero sentir você inteira. – Ele sussurrou fazendo com que a menina mordesse com força seu lábio inferior, aquilo fez o mais velho atacar os lábios da menor que ainda estavam com o sabor do doce. Ele sugava e mordiscava os lábios carnudos com volúpia antes de adentrar a língua na boca quente e saborosa da sobrinha. O beijo durou o tempo do ar faltar e com isso Louis se afastou com um sorriso singelo de satisfação. Ainda ofegante, Seunome sentou seu quadril contra o membro de seu tio, fazendo o mesmo gemer o nome da menina em um ofego. O membro de Louis roçava exatamente na fenda que separava sua intimidade de suas nádegas, fazendo a mesma choramingar por ser tão prazeroso e doloroso a sensação, até que a menina finalmente se lembra dos cookies. Pegou um levando aos lábios do tio.

- Como está? Ficou bom? – Perguntou em expectativa.

- Não sei, preciso de mais. Muito mais! – O duplo sentido era nítido. Seunome sorriu maliciosamente mais ainda sim encantadora e começou a movimentar o quadril para frente e para trás sobre a ereção do tio, enquanto ainda levava o cookie á boca do mais velho, que gemia em provocação.

- E agora? Vai me recompensar? – Falava Seunome eufórica mas com a expressão beirando ao desespero fazendo Louis gotejar ao ver o quanto excitada e precisando de alívio a sobrinha estava.

- Só porque sou um tio muito bom, mas aqui não é lugar para isso. – Ele levantou a sobrinha no colo que deixou o prato sobre o sofá e caminhou em direção á escada. A garota se sentia apertada com o membro do tio a roçar contra o pano do vestido. Louis sorriu assim que sentiu sua pequena depositar beijinhos sobre seu pescoço e clavícula.

Ao chegar no quarto de Seunome, Louis a colocou sentada sobre a cama e ficou de pé diante da menina, seu membro na altura do rosto. Seunome umedeceu os lábios e salivou. A menina abaixou o que restava da box de Louis e depositou um beijo casto em ambas as coxas antes de fitar Louis como se pedisse permissão para prosseguir, este apenas levou mão a nuca da menina e acariciou ali empurrando delicadamente o rosto contra o membro.

Primeiro a menina segurou a base fazendo leves movimentos de vai e vem para depois passar a língua por toda extensão da ereção e por fim rodeando a glande rosada se concentrando na fenda melada com o pré-gozo.

- Desde quando faz isso tão bem babe? – Louis apertou levemente os cabelos da sobrinha e gemeu alto ao ver a menina o fitando com aqueles olhos verdes profundos passando uma infantilidade quase pecaminosa. Seunome deu um leve sorriso ao ouvir as palavras do tio ‘’babe’’ ‘’babe’’, ela sonhara com isso sua vida inteira. Ela parou por um momento.

- Treinei muito com pirulitos. – Louis se xingou e xingou a menina por ter adorado saber que ela fazia aquilo pensando unicamente em si. Sua mente se tornou turva ao sentir a garota aumentar seus movimentos e tentou por o membro de Louis em sua boca, o sugando e ao mesmo tempo tentado engoli-lo até onde conseguia. Louis sentia sua glande chegar a garganta da menina, lhe dando uma vontade enorme de literalmente fazer amor com a boquinha quente de sua Lolita, mas se fizesse isso acabaria não conseguindo controla-se. Mais algumas longas e torturantes sucções Louis afastou Seunome que o encarou confusa.

- Não achei que terminaria agora Tio. – Falou a menina. Louis tentava,mas ainda assim não conseguia ouvir malicia na voz de Seunome. Parecia que ela falava porque queria e não para provocar o mais velho. Rapidamente a menina se pos de quatro e retirou sua fina calcinha, deixando seu botão róseo a vista pelo fato das pernas estarem bem separadas.

- Quero te castigar por estar vestida assim. Você não sabe como fica linda assim minha Lo-Li-Ta. – Seunome não teve tempo para responder pois sentiu algo quente e úmido entre sua fenda e deduziu ser a língua de Louis. A menina não acreditara que estava ganhando o famoso beijo grego de seu amado tio e não imaginava o quão gostoso era sentir a língua rodeando sua entrada e lhe penetrando aos poucos.

- Tiooo! – Gemeu rouca enquanto movimentava o quadril contra a língua de Louis. Este se afastou recebendo um muxoxo por tal ato mas logo foi substituído por um gemido de dor ao sentir a glande forçar sua entrada virgem.

-  Dói ... demais tio ...Lou ... – Choramingou,mas não se moveu para se afastar da investida.

- Eu sei babe, mas é castigo. – Louis ia falando conforme introduzia seu membro na menina. Ela revirava as olhos de prazer e se segurava para não berrar. Em contra partida Seunome murmurava e choramingava mas não queria que o outro parasse porque de certa forma amava a dor que sentia.

- Merda! Tão apertadaaa... Oh Seunome, você esta me esmagando. – Murmurava Louis assim que entrou por completo. Esperou até o outro mover o quadril em resposta e quando se deu conta esticava lenta e profundamente. Louis inclinou sobre o corpo da menina e com uma das mãos começou a abrir o fecho do vestido deixando as costas da mesma livres para ser beijadas e mordiscada até ficar vermelha.

- Mais rápido – Sussurrou a garota que foi prontamente atendida. Louis começou a se movimentar de forma bruta e rápida fazendo com que Seunome se segurasse na cabeceira da cama para manter o corpo firme. A cama rangia e batia contra parede, Louis saiu todo de Seunome e voltou com força atingindo seu ponto mágico.

- Ooh, de novo!! – Gemeu a mais nova rebolando contra o membro do maior que estocou mais algumas vezes da mesma forma. Louis queria mais e então sem avisar saiu da menina e rasgou o vestido marcando a pele ainda mais de Seunome que soluçou em susto.

- Sente-se no meu colo Seunome, quero ver seu rosto. – A menina teve dificuldades para se mover e ficar sobre o corpo de seu tio, mas logo se posicionava sobre o membro descendo de uma vez só sobre o mesmo. Um grande erro pois aquilo pareceu lhe partir ao meio, mas fez Louis gritar seu nome e puxá-la para um beijo longo e intenso. Lou ajudava Seunome rebolar e cavalgar sobre seu membro. A menina tinha suas bochechas úmidas em lágrimas o que fez Louis ficar tenso. Não queria machucar sua pequena, não a esse ponto. Ele beijou as bochechas manchadas de lágrimas e tornou os movimentos mais longos e lentos, porém a jovem apenas chorava pela ardência, mas mesmo assim estava amando cada parte latejante de seu corpo.

Agora os movimentos eram sensuais. Os dois trocavam beijos e olhares cúmplice. Seunome transmitia a paixão que nutria por anos através de seus lindos olhos e Louis deixava-se levar pela emoção e sentimento de pela primeira vez ver o quanto apaixonado estava ficando por sua sobrinha.

- Louuu... Ahh! – A menina desabou contra o peito do mais velho em estado deplorável de cansaço e falta de ar. Lou a envolveu em seus braços e alisou seus cabelos molhados de suor.

Eles ficaram naquela posição por um tempo, até Louis colocar Seunome deitada sobre o travesseiro e se levantar.

- Você não sabe o quanto é adorável e apaixonante. É um crime te olhar assim, mas nesse momento eu iria preso e ate para o inferno se fosse para repetir tudo isso mil vezes. – Sussurrou o mais velho no ouvido da menina que estava mais sonolenta e exausta que o normal. Ela apenas sorriu e suspirou ao receber um beijo delicado nos lábios.

- Te amo Louis! – Falou manhosa. Louis sorriu e se levantou pegando uma toalha que se encontrava sobre a cadeira. Limpou com cuidado o corpo da menina e a si mesmo.

- Te amo minha pequena Lolita – Sussurrou antes de deitar do lado da menina e tirar a tiara de flores.

- Por que se veste assim? – Louis perguntou curioso.

- Porque gostou de ser sua Lolita ... – Murmurou antes de pegar no sono. Louis sorriu terno e beijou a testa, olhos e lábios de sua pequena.

- Você é muito mais que isso babe, você é meu amor... – E então a abraçou e ficou ali velando o sono e pensando na loucura que foi o dia. Bendita hora que escolhera para visitar a meia irmã. Foi a hora exata para isso.

 FIM!


 Isso na verdade é uma Oneshort Larry, postada no SocialSpirit . Fiz uma versão mais light da original! A verdadeira autora me deu permissão para postar e claro mudar algumas coisas! Espero que gostem, eu adorei a versão Larry! 



Meu blog: Sonhos com 1D
Meu tt: @ToledoLizz


Até mais! 

5 comentários:

  1. Sinceramente, eu estou sem palavras. eu já li a versão Larry no SocialSpirit e achei perfeito mais o que vc fez ficou ainda melhor, vc ''inovou'' e deixou super mais fofo (pq na versão larry a coisa é braba kkkk) Amei Simplesmente PERFEITO *-------*

    ResponderExcluir
  2. Eu me excitei com isso, cara que demais!

    ResponderExcluir
  3. '-' Estou definitivamente sem palavras!! simplesmente PERFEITO, eu estou até sem ar aqui, sinceramente... Nunca li um imagine tão bom assim, parabéns !!

    ResponderExcluir