Before | Capítulo 8

segunda-feira, novembro 02, 2015 | | |


Narradora

- R-Rose?

 As íris azuis de Louis analisaram a garota de cima a baixo. A boca entreaberta, olhos arregalados, mas seus lábios rosados não conseguiam esconder o sorriso malicioso que se formava. Ele não devia ter falado, queria ter ficado ali a observando até Rose perceber, porém a onde extra de energia e surpresa que percorreu por suas veias o obrigou a chamar sua atenção.



 No entanto Hemsworth continuava ali, parada, em choque. Os olhos de Louis subiram de suas pernas e coxas, quadril, cintura e... Oh papai, ela está sem sutiã. Da última vez em que ele viu o corpo da garota, ele tinha 12 anos, Rose e Harry 10; os três estavam na piscina da mansão. Rose era muito mais acanhada, apenas ficava com os pés para dentro d'água vestida em seu maiô roxo, até que os irmãos Stylinson a puxavam para entrar na brincadeira com eles. Mas, claro, sua estatura nem de longe era desenvolvida e com curvas como agora.

 O que para Louis pareceram longos segundos, para Rose sua perturbação durou apenas alguns instantes até a realidade lhe cair e ela se abaixar rapidamente, colhendo seu roupão do chão.

- Senhor Louis? - Ella bateu a porta. - Sua mãe me pediu para te ajudar com a gravata. - O castanho conseguiu desviar o olhar para a moça e assentiu. Até havia esquecido desse detalhe.

- Sim, hum... Claro.

 Ella adentrou mais o cômodo, pegou a gravata borboleta de suas mãos e, sem sequer hesitar nos movimentos, a envolveu no pescoço do garoto finalizando em um nó perfeito.

- Assim está bom? - Ele assentiu. A mulher sorriu e olhou na direção do closet. - Rose? - suas sobrancelhas se uniram. - Está tudo bem?

 A menina apertava o roupão com estampa de patinhos contra o corpo. O rosto estava corado e ela precisou reunir suas forças para falar sem gaguejar:

- Estava procurando o vestido que Anne separou para mim.

- Oh! Precisa de ajuda? - perguntou e se apressou para dentro do espaço. Parou por um instante e se virou para o garoto. - Pode nos dar licença, senhor?

- Claro. - Louis se voltou mais uma vez para Rose, que ainda estava perturbada pela maneira como o castanho a olhava, deu um sorriso e seguiu para fora do quarto, fechando a porta.

 Ella ajudou Rose a procurar o vestido onde a senhora Stylinson havia indicado. E enquanto a garota deslizava para dentro dos tecidos, a empregada procurava por um par de sandálias que servisse para ela. Desistiu brevemente da busca para poder auxiliar a fechar o zíper das costas do vestido. Rose se virou novamente para o grande espelho e se pegou outra vez espantada. A peça era toda vermelha, o decote tomara-que-caia destacava seu busto, assim como suas curvas que eram acentuadas pelo formado do vestido, a parte da saia era um forro que ia até pouco acima do joelho com um tecido transparente de mesma cor por cima. Um cinto de strass envolvia sua cintura.

- Você está linda - Ella sorriu para o reflexo de ambas no espelho. Rose sorriu agradecida, Ella é uma pessoal gentil e delicada, além de fazer maravilhosos cupcakes. Foi contratada semanas atrás depois do senhor Stylinson ter pegado a última empregada dando em cima de seus filhos adolescentes.

- Rose, você está linda, querida - Anne sorriu para ela da porta do closet. Olhou para a morena até chegar em seus pés descalços. - Hum... - murmurou caminhando até uma de suas inúmeras fileiras de sapatos, após uma busca com os olhos pegou uma caixa e abriu. - Sei que você não está acostumada com saltos altos, mas este é baixo. Comprei pela internet, veio o número errado, mas acho que serve em você.

 Rose os apanhou e os depositou no chão, colocando um pé de cada vez no interior do calçado. Realmente não era muito alto. Era na cor preta com um pequeno detalhe do lado. Deu alguns passos, tirando a conclusão de quê era de um bom tamanho, pelo menos ela não patinava dentro do sapato. Retornou a olhar para sua imagem e sorriu.

- Obrigada, Ella. Obrigada por tudo, Anne.

- Que isso - ambas disseram juntas.

- Ella, pode ir para casa, obrigada por ajudar com os meninos.

- Imagina, senhora. Com licença. - Trocou olhares com Rose, em uma despedida silenciosa e se retirou.

- Vamos descer? - perguntou Anne, dando uma ajeitada no cabelo de Rose. Ela assentiu.

 As duas saíram do closet, a senhora Stylinson pegou sua bolsa, conferiu os ingressos e então foram rumo ao andar de baixo. Os três irmãos estavam sentados no sofá assistindo a Disney Junior, Harry tinha a cabeça apoiada na mão, pegou o celular para olhar as mensagens, Niall estava no colo de Louis - que a mãe pedira para ficar de olho para que o menor não voltasse a se sujar - e imitava tudo o que o desenho pedia. Os saltos de Anne batiam contra o piso da escada, fazendo barulho, Rose descia com cuidado. Assim que desceu o último, Anne chamou a atenção dos filhos:

- Meninos. Estão prontos?

 Eles se levantaram, Harry desligou a TV e deu um bocejo, se virou na direção da mãe e arregalou os olhos. Louis não ficou atrás. Ambos encararam Rose, ela estava tão diferente do que acostumavam a ver: usando maquiagem, o cabelo com cachos nas pontas, o vestido acima dos joelhos - normalmente as roupas da garota são cumpridas, abaixo dos joelhos -, o salto, mesmo que baixo, dando um ar de elegância e delicadeza. Harry abriu ligeiramente a boca ao passar pelas pernas de Rose, subiu novamente para seus olhos enfeitados por delineador e sombra, eles brilhavam, mesmo estando baixos pela vergonha de ser o centro da atenção dos dois garotos.

 Principalmente do Louis. O mais velho dos irmãos Stylinson engoliu em seco, seu cérebro parecia ter adquirido uma visão de raio x: ele via Rose com o vestido vermelho, mas também a via praticamente nua na sua frente novamente..

- Bom, nós vamos encontrar Mark e o seu pai, Rose, no teatro, eles irão direto de Londres para lá.

- Hum... Okay. Liam deve estar chegando para me buscar.

- Oh, não virá conosco?

- Sinto muito, Anne. Foi Liam quem me convidou, ele disse que passaria aqui com os avós para me levar.

- Tudo bem. Então iremos os dois carros juntos. Vamos? - passou o olhar por todos, que assentiram.

 Ela esticou a mão para que o pequeno loirinho a pegasse e todos caminharam para fora da mansão. Rose voltou depressa para casa, precisava pegar o celular. Subiu para seu quarto, escolheu uma bolsa pequena, pendurando a alça fina em um dos ombros nus, o telefone celular estava em cima de seu criado mudo, passou a mão por ele e apertou seu óculos na outra mão, ainda estava insegura com as lentes. Guardou os dois objetos e saiu da casa. Andava pelo gramado tentando não cair, pegou o celular e deslizou o dedo pela tela, o desbloqueando. Havia uma notificação de chamada perdida de Liam, mas logo chegou uma mensagem, avisando que ele estava a caminho. Uma outra mensagem, desta vez de seu pai, dizia que iria para o teatro.

 Atravessou o portão da mansão, parando na calçada. O Porsche 911 Turbo S Cabriolet vermelho de Louis parou na sua frente. O vidro do motorista abriu para ela.

- Ele vai demorar muito?

- Já deve estar chegando. - Ela deu um suspiro e desviou do olhar do castanho.

- Rose... - Louis saiu do carro. - Não quero que fique com vergonha de me encarar. Aquilo foi... - ele não queria e nem iria dizer um infeliz ocorrido. - Eu devia ter batido na porta. Olha para mim - pediu e assim ela fez. Fitou aqueles olhos azuis que estavam vidrados nos seus. - Vamos esquecer isso? - propôs. Mordeu o lábio inferior, ele não iria esquecer.

- Okay, Louis - ela deu um sorriu. Um carro verde escuro parou atrás do porsche, Liam Hardware surgiu por de trás da porta traseira. Seus olhos arregalaram ao focar em Rose. - Até depois - se despediu e marchou rumo ao Palio Attractive. - Boa noite, Lee - sorriu para o amigo.

- Boa... - Ele sacudiu a cabeça. - Boa noite, Rose. Uau, você está linda! Não que você não fosse antes... - Rose abafou uma risadinha.

- Eu entendi. Pedi uma ajuda para a Sra. Stylinson me ajudar, hoje a noite quero me sentir - deu um suspiro - bela por um dia.

- E você está bela. Assim como em todos os dias - ele a tocou no rosto. Rose espiou por cima do ombro, Louis os observava.

- Obrigada, você é um ótimo amigo. - Ela piscou repedidas vezes, as lentes não eram exatamente do grau dela, mas Anne assegurou que a levaria para o oftalmologista, para comprarem a certa. - Vamos?

 Liam assentiu e lhe deu espaço para entrar no carro. Rose cumprimentou o Sr. e a Sra. Hardware, o moreno sentou ao seu lado. O porsche seguiu na frente e então partiram. Demoraram cerca de 30 minutos até chegar ao Royal Shakespeare Theater, Rose saiu por um lado do automóvel e Liam pelo outro. A morena olhou admirada para a estrutura; o anoitecer caia, o teatro já estava todo iluminado, a deixando mais encantada. Cada vez mais pessoas se aglomeravam ao redor, havia vários turistas, Rose ouviu um casal conversando em outra língua, supôs que fosse italiano. Se virou para ver o palio se afastar.

- Jeff foi procurar uma vaga para o carro - a Sra. Hardware informou e os dois adolescente assentiram.

- Animada? - Liam perguntou.

- Não. - Rose encarou o castanho. - Não; responda-me; pare e diga o nome. - Liam abriu um largo sorriso.

- Viva o rei! - ele exclamou, recitando a próxima fala do início de Hamelt. Ambos riram, isso foi muito nerd, Rose pensou, até mesmo para ela. A Sra. Hardware balançou a cabeça e riu junto com eles.

 Mais adiante, a família Stylinson aguardavam a chegada do pai/marido. Louis tinha acabado de voltar depois de achar uma vaga para o carro, Niall queria sair correndo para brincar, mas Anne o deteve, Harry estava concentrado na cena há alguns metros dali, mal notando que algumas mulheres lhe lançavam olhares ou cochichos de como era um cara bonito, ainda mais de smoking. 

- Que cara é essa, Harry? - Louis questionou e seguiu seu olhar. Sorriu malicioso, voltando-se para o irmão: - Ciúmes, Harold?

- Não enche, Louis - respondeu fazendo uma careta. Revirou os olhos, murmurou "já volto" para a mãe e se aproximou de Rose, Liam e a senhora da biblioteca, ele não sabia seu nome. - Divertido, não? - forçou uma risada e apoiou a mão no ombro de Liam. O mesmo olhou para o gesto, depois para o cacheado.

- Perdão? 

- Está perdoado, seja lá pelo o que você tenha feito - Harry lhe deu tapinhas. Olhou para Rose que mordia o lábio, reprimindo um riso. Não se conteve e mordeu o seu. - Não tive tempo de dizer antes, Rose, mas você está linda.

 Ela ficou séria e o fitou enquanto ele levava a outra mão para seu rosto. Aquelas esmeraldas verdes brilhavam, desceram mais uma vez por todo o seu corpo, a fazendo estremecer. Por que ele fazia questão de fazer isso? De a deixar atordoada e sem jeito? Harry adorava a reação que provocava em Hemsworth com sua presença e toques, se sentia vitorioso cada vez que a via tremer e os pelos de seu braço arrepiar quando ele a tocava. Louis apenas observava tudo a distância. Ele não tinha inveja do irmão, o achava um completo tarado para falar a verdade, por isso a maioria das patricinhas da escola davam bola para Harry. Mas sentia uma pontada de raiva e tristeza por vê-lo tentando se aproximar de Rose e de a mesma responder aos gestos dele, mesmo que involuntariamente.

- Não recebo nem um "obrigada", mon cher? - Harry fez um bico.

- Ah, qual é. - Liam empurrou a mão dele de seu ombro. -  Não é como se ela precisasse de um elogio seu para saber o que é. 

- Liam... - A Sra. Hardware advertiu a grosseria do neto e sorriu para o marido quando o viu se aproximando deles.

- Tudo bem, Lee. Ele está certo, tenho que ser educada - Rose passou do rosto de Liam para o do cacheado. - Obrigada, Harry.

 Stylinson deu um sorriso vitorioso.

- Estão prontos? - perguntou o Sr. Hardware, animado. Sorriu ao notar Harry. - Olá - estendeu a mão. 

- Oi - Harry retribuiu o cumprimento.

- Estamos prontos. Melhor entrarmos para pegar os lugares - disse Liam e o avô concordou.

 Rose olhou para o grupo mais a frente, seu pai não estava ali. Pegou o celular para lhe mandar uma mensagem avisando que já estaria dentro do teatro quando chegasse e aconchegou a outra mão no ombro de Liam, como se dissese para ele se acalmar.

 Harry acenou com a cabeça, sorrindo malicioso, enquanto a assistia se afastar com os outros três. Não conseguia parar de olhar para as pernas dela e se perguntar "por que ela esconde tudo... isso por debaixo daquela saia cumprida e horrorosa?". Sua mente trabalhava, precisava a encurralar de algum jeito. Ainda havia a festa do Recee, seria no próximo final de semana, o garoto loiro mandou o convite da festa de aniversário há meses, só para garantir que as pessoas mais descoladas iriam comparecer. E Harry ainda precisava da resposta de Hemsworth.

 Arqueou uma sobrancelha para Liam. O castanho virava para trás, verificando se ele ainda os observava, até que desapareceram por entre um grupo de pessoas. Harry o achava sinistro. Voltou ao encontro de sua família e encontrou sua mãe ainda mais nervosa com o atraso do marido.

- Mãe, é melhor entrarmos, o espetáculo começara em minutos. - Harry aconselhou, segurando a mão de seu irmão mais novo que a todo custo tentava se soltar e fazer alguma arteira. O burburinho feminino crescia em sua audição e Stylinson permitiu-se encarar o quinteto de mulheres e dar um sorriso ladino e charmoso, fazendo-as sorrirem e corar, não como Hemsworth.

- Harry tem razão - Louis proferiu, achando que jamais usaria as palavras razão e Harry na mesma frase. - Estamos esperando a tanto tempo, meu pai logo chegará e nos encontrará lá dentro. 

- Estão certos, meninos. - Anne disse cabisbaixa, queria sair com sua família, mas o Sr. Stylinson sempre priorizava seu trabalho e um único jantar em seu restaurante de frutos do mar favorito era até mais que raro. - Louis, mande uma mensagem para seu pai dizendo que já entramos e que deixarei o ingresso dele na bilheteria.

 O castanho assentiu, então partiram em direção a entrada. Harry olhou mais uma vez para o quinteto de moças, que vinha logo atrás deles. Se distraiu e quase deixou o loirinho lhe escapar das mãos. Subiram os degraus mínimos até a bilheteria onde Anne deixou os ingressos para o marido e James, entregou o seu e dos demais para que pudessem entrar. O hall era bem amplo e alto, as pessoas iam de lá para cá; monitores indicavam a entrada para cada setor.

- Meninos - Anne lhes chamou a atenção. - Vou levar Niall ao banheiro, para prevenir uma saída logo no início da peça. Vocês sabem onde ficaremos? - Ambos fizeram sim com a cabeça. - Muito bem, nos encontramos em 5 minutos. - Disse e se retirou levando o caçula consigo.

 Louis olhou para o irmão; o mais novo quase o estava o ultrapassando na altura. Harry passava a orbes verdes por todo o lugar, dava sorrisinhos de flerte e charme para as belas jovens que passavam por eles, que logo se encolhiam com a mão na boca abafando um risinho.

- Você devia ter vergonha na cara, sabia? Considerando que minutos atrás estava dando em cima de Rose - Louis soltou antes que pudesse segurar as palavras. A boca do cacheado se tornou rija ao encará-lo. 

- Ela praticamente me ignorou, Louis. Feliz? - Harry perguntou, com um tom amargo na voz. 

 Sem responder, Louis se direcionou a uma das pessoas com "Royal Shakespeare Company" estampado na camisa, que lhe indicou que a cabine 3 era pelo corredor da esquerda. Harry o acompanhou com o maxilar trincado. Não iria discutir com o irmão no meio de toda aquela gente. Assim que entraram na cabine, com 4 fileiras de 10 cadeiras, Louis se apressou para guardar a 1° para sua família; outras pessoas também iriam sentar por ali.

 Sentou-se primeira cadeira, Harry a seu lado, em silêncio. Escadrilhou o lugar com os olhos, observando o aglomerado de pessoas se arrejeitando em seus lugares, o barulho de conversas alto em seus ouvidos. Eles tinham a visão de cima e da lateral do palco. E, apesar de todos aqueles corpos ainda em movimento pelo lugar, notou o brilho de um strass na cabine do lado contrário a sua, mas deixou escapar uma expressão de decepção ao ver que não era quem ele esperava. Baixou os olhos para as cadeiras no térreo, e ali, na terceira fileira de frente para o palco, encontrou Rose. Ela admirava tudo com um sorriso largo, como uma criança alegre em um parque de diversões, Liam estava a sua direita e depois vinha os avôs do garoto. Louis sentia a animação com que a garota falava com o amigo.

 Louis ainda a olhava quando Anne chegou com Niall, e sentaram-se ao lado de Harry. Sentiu o celular vibrar no bolso. Um SMS do pai avisando que havia chegado e logo estaria junto a eles. Transmitiu a mensagem para a mãe e deu um longo suspiro. Ele viera ao teatro poucas vezes na infância e a única coisa que sabia de Hamlet era a frase "ser ou não ser, eis a questão".

 As luzes diminuíram, as vozes que antes inundavam o local cessaram. Mark Stylinson e James Hemsworth deslizaram, sorrateiros, para seus assentos. Os dois homens cumprimentaram Louis, Harry e Anne apenas com aceno de cabeça, que os três retribuíram. Louis retornou a olhar para Rose. Desta vez a garota mirava sua atenção para a cabine com um sorriso, mas por ter conseguido localizar o pai. Seus olhos seguiram adiante na fileira, até parar nele e ela desviar rapidamente.

 Ela ainda está com vergonha de mim, pensou meio magoado e meio triste. Baixou a cabeça, depois a levantou no momento em que uma mulher, no centro do palco, dava as boas vindas a todos e logo saia para dar o início a peça.

Continua...

Lumus 

Helloooo anjos do céu!
Sorry pela demora, era para ser postado antes, mas deu um problema no meu notebook e não sei até quando vou ficar sem ele </3 Porém darei um jeito de trazer novos capítulos para vocês, e espero que tenham gostado no número 8. Estão ansiosas e nervosas com o novo álbum e a pausa dos meninos? Eu estou >< Mas, Directioner forever, para o que der e vier 
Até o próximo.
Bjão xx

Nox 

Ps: O trecho que Rose e Liam citaram de Hamlet varia de exemplar para exemplar, dependendo da editora que o publicou. Bom, era só isso, para o caso de alguém ler (ou que já tenha lido) Hamlet, e não dizer que coloquei errado ksckscksc' Kisses  <3

4 comentários:

  1. Crlh!!!! Ficou muito fodaa esse capítulo!!! Já disse que você escreve bem? Não?? Moça, parabéns você é uma ótima escritora ����

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, babe! Eu e a Liz ficamos felizes por gostar da fic ♡
      Kisses xx

      Excluir
  2. moca, quando vc vai continuar com a criminal? ta mt mt mt boa eu to amando ❤️

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. então mana, eu não vou continuar criminal.
      apaguei a fic e não irei escreve-la mais, espero que entenda!
      beijinhos

      Excluir