Imagine com Harry Styles - All Of The Stars (Parte II)

sexta-feira, janeiro 22, 2016 | | |

Eu estou ficando velho E preciso de alguma coisa para confiar
Então me fale quando você vai me deixar entrar
  - Somewhere Only We Know, Keane
 

Ano de 2016, Canterbury (Harry 22 anos e Seunome 20 anos, sexto mês de gestação)



  As mãos de Harry soavam frio e seu coração batia tão forte como se a qualquer momento fosse ultrapassar a caixa torácica, amor, nervoso, ansiedade, um misto de sensações corriam por suas veias e dominavam seu corpo, deixando-o ainda mais inquieto naquele altar. Ao seu redor havia um grande número de pessoas, seus parentes, amigos, companheiros da área musical e os convidados de Seunome, também estavam presentes pessoas que o encaracolado não recordava-se de ter visto sequer uma vez na vida, mas o que isso importa agora?  Tudo o que Styles ansiava era ver sua futura esposa entrando pelas enormes portas da igreja, trajando um longo vestido branco, de braços dados com seu pai, linda como sempre.

  Anne, sua mãe notou certa inquietação no altar e aproximou-se colocando sua mão direita no ombro do filho para confortá-lo e deu um breve sorriso. 

  — Querido, acalme-se. O atraso da noiva faz parte da tradição do casamento, para quem esperou por tanto tempo alguns minutos são nada. — Ela disse.

  — Eu sei mãe, mas não posso evitar essa agonia, imagina se ela desiste de se casar comigo e me deixa aqui plantado? — Anne gargalhou e balançou a cabeça em negação. 

  — Ela te ama demais para cometer tamanha loucura, além disso ela está gravida de um filho seu. Já falei com sua sogra e ela confirmou que Seunome está à caminho. Agora pare de dar tantas voltas senão abrirá um buraco no altar da igreja. — Dito isso ela voltou a sua posição com o mesmo semblante relaxado.

  Styles enxugou o suor que havia se acumulado em suas mãos em sua calça social  e tratou de controlar-se ao máximo, respirando fundo por diversas vezes. A marcha nupcial preencheu todo o espaço e automaticamente suas orbes esmeralda focaram na enorme porta a minha frente, seus batimentos cardíacos estavam ainda mais desordenados e Harry não sabia mais descrever o que estava acontecendo consigo.

  A realização de seu maior sonho estava ali, caminhando em sua direção com lágrimas de felicidade nos olhos, de braços cruzados com o pai e a enorme calda de seu vestido se arrastando lentamente pelo chão, acompanhando seus passos. Ela estava maravilhosa.

  Um rápido filme passou em sua mente, a forma inesperada como se conheceram, o primeiro encontro, primeiro beijo, desentendimentos e alguns dos momentos mais felizes que passaram juntos até chegar onde estão hoje.

  Hoje Seunome seria  oficialmente sua mulher, sua esposa e futura mãe dos meus filhos, aquela com que iria viver até os meus últimos dias.
 
  O pai de Seunome e a própria pararam dois passos longe do altar e Harry desceu os três degraus de madeira para buscar sua noiva, cravou os olhos em suas globes brilhantes por longos minutos com um largo sorriso nos lábios, enquanto ela se esforçava para não deixar que as lágrimas borrassem o seu rosto. O sogro de Styles tocou-lhe o ombro e trocaram um rápido abraço.

  — Hoje eu estou entregando em suas mãos o meu bem mais precioso, minha filha caçula, a minha princesa então por favor, cuide bem dela e lembre-se: se você machucar os sentimentos dela, eu machuco o seu rosto. — Ele falou, não muito alto, mas o suficiente para que Seunome também escutasse e ela revirou os olhos, sorrindo.

  — Peço que confie em mim, prometo que só darei a ela motivos para sorrir e não vou medir esforços para fazê-la feliz da mesma forma que ela me faz, há ela e a essa criança. — Proferiu com sinceridade e o mais velho assentiu, permitindo-o tomar o braço de Seunome e a conduzir para cima onde o padre já os esperava.

  — O nosso dia finalmente chegou amor, eu não poderia estar mais contente e certa de minha decisão. Eu te quero comigo para sempre.  — Seunome disse e Harry não pode evitar o sorriso apaixonado, ela tinha o poder de deixa-lo mais apaixonado a cada instante ao seu lado e saber que seus sentimentos são correspondidos por ela na mesma intensidade não tem preço.

  Algumas pessoas acreditam em alma gêmea, outras acham que é apenas bobagem, mas se realmente existe com certeza a jovem a sua frente e que agora segura a sua mão é a sua outra metade.

  — Você já me tem e sempre terá. — Harry fitou os seus lábios e sentiu uma enorme vontade de tomá-los para si, mas ainda não era hora. Tinham toda uma cerimônia antes do padre dizer "Pode beijar a noiva" e até lá o encaracolado teria de se conter, tudo iria valer a pena no final.

  A expressão de felicidade em seu rosto foi dando lugar a uma de preocupação quando viu Seunome se curvar com a mão no ventre, ela parecia sentir uma forte dor. Harry agarrou sua cintura e a puxou-a para si, apoiando o corpo dela no seu.

  — Seunome, o que está acontecendo? — Perguntou aflito, ela parecia piorar a cada minuto, sua pele estava perdendo a cor junto com o brilho de seus olhos.

  — É como se tivessem facas atravessadas em mim, não consigo respirar, me ajuda. O bebê, Harry.  — Ela suplicou com dificuldade, as lágrimas deslizavam por seu rosto, trincou os dentes na tentativa de tornar a dor mais suportável, mas isso não estava adiantando.

  Os olhares de todos estavam vidrados em nós, os pais dos noivos se aproximaram tentando entender o que estava acontecendo ali. As pernas da jovem fraquejaram e Harry a pegou no colo rapidamente, antes que seu corpo pudesse atingir o chão.  O pânico dominava cada uma de suas células, vê-la nesse estado estava doendo tanto em si, seus lábios pálidos tremiam pela dor e Harry estava completamente perdido, com o medo de perder sua mulher e filho.

  — Socorro, chamem um médico agora, minha noiva  está sentindo dores. — Gritou desesperado apertando Seunome em seus braços, não podia perdê-la e muito menos seu filho.

  — Por Deus, o que está acontecendo? O que você está sentindo, minha filha? — A mãe de Seunome perguntou tocando o rosto da filha.

  — É o bebê. — Seunome sussurrou sem forças, as lágrimas caíram de seus olhos. Ela parecia mais fraca a cada instante, mas Harry não a deixaria ir embora, ela não pode me deixar, não depois se tornar dona do meu coração. — Harry, se eu morrer tem que me prometer que vai cuidar de nosso filho. Cuide dele, ame-o.

  — Não diga isso meu amor, vocês iram ficar bem, logo virá ajuda. — Disse baixo, mas com convicção. A dor que lhe atingia o ventre se intensificou, Seunome se contorceu em seus braços e um grito escapou de sua boca, Harry sabia que ela estava tentando lutar por seu filho, mas seu corpo parecia debilitado demais para esforços maiores, todos estavam assustados com o estado de Seunome, a ambulância chegou segundos depois de mais algumas contrações.

  — Harry. — Ela chamou enquanto paramédicos a colocavam em uma maca, rumo ao hospital.

  — Não fale, já chegou a ajuda e você e nosso filho ficaram bem. —  Respondeu.

  — Cuide dele e conte-o o quanto eu quis o conhecer, diga que eu sempre vou amá-lo. — Seunome disse com as lágrimas transbordando de seus olhos. Harry não conseguia descrever o tamanho da dor que estava sentindo, seu corpo parecia perder as forças junto com o de sua noiva, Deus não podia levá-la.

  — Não fale como se esse fosse o nosso último momento juntos, essa dor vai passar, você vai ficar bem e nós vamos casar como sonhamos. Você não pode desistir, não pode se entregar Seunome. Lute por nós. — Tocou a barriga da jovem e derramou mais lágrimas.

  — Eu preciso te falar...

  — Seunome, por favor. — Ele pediu enquanto entrava na ambulância, com seus sogros e sua mãe. Segurou forte a mão de sua amada e limpou o pouco suor que havia na testa de Seunome, enquanto os paramédicos apressavam o motorista.

  — Harry me prometa que vocês ficaram bem. — O homem engoliu em seco, ela não podia pedir isso, era como se tivesse pedindo ao homem para não sentir sua falta e isso era impossível. — Quando amamos alguém de verdade a nossa prioridade é a felicidade do nosso par e eu quero que você e ele sejam felizes, que não se deixem abater pela dor da perda e da saudade porque aonde eu estiver, em qualquer lugar eu estarei pensando em vocês e meu coração estará sempre com vocês. — Sua voz se tornava mais fraca a cada palavra dita, a dificuldade estava nítida igualmente a dor em seu rosto, ela respirou fundo como se estivesse juntando suas últimas forças para concluir o que queria tanto falar.

  — Eu não consigo, eu não vou conseguir viver sem você. — Confessou.

  — Você terá, por ele. Não posso ir em paz se não me prometer isso Harry, por favor. Diga pelo menos que irá tentar pelo amor que sente por mim. — Ela implorou mais uma vez e Harrynão poderia lhe negar, mesmo me destruindo por dentro.

  — Eu...eu prometo. — Disse. Lentamente, Seunome olhou para seus pais e voltou sua atenção para Harry. Acariciou o rosto da jovem e beijou seus lábios suavemente.

  — Eu amo vocês. — Ela sussurrou, suas lágrimas caíram, seus olhos foram perdendo o foco e os lábios dela tomaram um tom frio. Sua cabeça pendeu para o lado e então ela fechou os olhos. Um grito alto de dor cortou a garganta de Harry, que não podia acreditar que havia a perdido.

  — Seunome por favor não faz isso comigo, volta pra mim meu amor, não pode me deixar, eu amo você, por favor, volta. — As palavras escapavam entre seus lábios sem nenhum controle, sentia seu corpo todo tremer em desespero.

  A ambulância estacionou em frente ao hospital e os paramédicos apressaram-se em levar Seunome para um parto de emergência. Harry fora impedido de acompanhar a noiva e fora acalmada por sete grandalhões, deixando a marca de um soco em três deles.Suas lágrimas caíam tão dolorosas quanto navalhas cortando a pele, estava totalmente quebrado e devastado, perdido em sua própria realidade, vazio por dentro, sem nenhum outro sentimento a não ser dor e solidão.


Ano de 2069, Stratford-upon-Avon

  Jamie limpo as lágrimas de seus olhos, encarando a face molhada de sua avó, enquanto a velha senhora terminava de contar a mais bela história que todos presentes na sala acabaram de ouvir. Amy limpava sua maquiagem borrada, Daniel fungava baixinho e Harry derrubava lágrimas silenciosas. Styles sempre sofria muito ao lembrar-se desta data. Aquele sem duvidas foi o melhor e pior dia da vida de Harry.

  — Bem, depois do nascimento prematuro, Sebastian ficou na UTI por sete meses. Ele veio tão frágil, com pouco menos de dois quilos e 46.6 centímetros. — Seunome relembrou limpando as lágrimas de seus olhos lentamente. — Pensei que ele não resistiria. — Harry beijou a mão de sua esposa e confortou-a, ele sabia o quanto aquele assunto machucava sua esposa.

  — Vamos mudar de assunto, sim? Daniel...

  — Oh, sim... — Daniel deu um sobressalto, metendo a mão no álbum de família e retirando de lá uma fotografia, onde seus avos brincavam na areia de uma praia, junto a um menino de vastos cabelos cacheados.

  — E essa, onde foi? — Amy indagou.

  — Em Brighton, nas férias de verão, o pai de vocês estavam com seis anos e meio. — Seunome contou.

  — Daria tudo para voltar a aquele verão... — Harry comentou.

Ano de 2021, Brighton (Harry 27 anos, Seunome 25 anos e Sebastian 06 anos ) 

   — Sebastian, por favor fique por perto. — Seunome gritou histérica vendo o filho ir em direção as rochas. — Harry, vá pegá-lo.

  — Deixe o menino se divertir, não faz mal brincar. — O homem proferiu enquanto segurava seu violão e escrevia alguma letra de música. Com o passar dos anos, Harry havia se concretizado como músico e era bastante conhecido por suas letras românticas e melódicas, compondo para estrelas do ramo.

  — O que conseguiu até agora? — Perguntou vestindo sua saída de banho com rapidez para esconder a cicatriz de sua cesariana.

  Styles suspirou e entregou o caderno a esposa, que leu as palavras rapidamente. Seunome era uma das grandes admiradoras do marido. — E então, o que achou?

  — Pode canta-la para mim?

  O homem assentiu e preparou seu violão entre as pernas. — Yeah I've been feeling everything From hate to love from love to lust From lust to truth I guess that's how I know you So I hold you close to help you give it up... — Finalizou a canção com um de seus maravilhosos sopranos e encarou a esposa que sorria abertamente. — E então, o que achou? — Voltou a questionar. 

  — Acho que poderia cantar para ele agora. — Acariciou sua barriga com lágrimas nos olhos e Harry derramou lágrimas de alegrias, beijando a esposa e abraçando-a com força.


Fim!

Hi! Tudo bem com vcs? Acabou! Eu fiquei um tempão sumida né? Deixei vcs na mão e me perdoem por isso.  A música que o Hazz canta no final é Kiss Me do Ed. Vocês gostaram? Beijinhos e até a próximas parte meus amorzinhos! meu perfil no SS: https://socialspirit.com.br/perfil/fiawlessliz 



2 comentários:

  1. Oii amor!!
    Queria saber se aceita afiliação?
    http://worldofdirectioner20.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. olá, queria saber se aceitam afiliação. Caso aceitem, podem entrar em contato? Estaremos aguardando! http://imagines-4-directioners.blogspot.com/

    ResponderExcluir